Missão e atribuições

    ​​​​​​A Direção Regional de Agricultura e Pescas de Lisboa e Vale do Tejo, abreviadamente designada DRAPLVT é um serviço periférico, dotado de autonomia administrativa, tutelado pelo Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural e pelo Ministério do Mar, cabendo-lhe executar as medidas de política agrícola, de desenvolvimento rural e das pescas, na sua área geográfica de intervenção.


    MISSÃO

    Participar na formulação e execução das políticas nas áreas da agricultura, do desenvolvimento rural e das pescas e, em articulação com os organismos e serviços centrais competentes e de acordo com as normas e orientações por estes definidas, contribuir para a execução das políticas nas áreas da segurança alimentar, da proteção animal, da sanidade animal e vegetal, da conservação da natureza e das florestas, no quadro da eficiência da gestão local de recursos. 


     

    VISÃO

    Ser reconhecida como um organismo regional de referência, dinamizador de desenvolvimento na Agricultura e no Mar, pela adoção de boas práticas de serviço público, pela capacidade para dar respostas céleres e pela qualidade técnica e humana dos seus profissionais. 

    Valorizar para preservar, a Terra e o Mar"


     


     

    VALORES

Orientação para os utentes

Ter uma orientação clara para os agentes do sector, respondendo às suas necessidades de forma célere e acessível.

Inovação 

Incentivar a criatividade na implementação de soluções e processos inovadores para a resolução de problemas e para a melhoria contínua dos serviços.

Governo responsável e transparente

Desenvolver uma gestão dirigida para a divulgação de ações e resultados, quer interna, quer externa.

Realização e desenvolvimento dos colaboradores

Proporcionar condições de realização pessoal e profission​al dos seus colaboradores.

Responsabilidade Social

Assumir a responsabilidade social perante a comunidade e demais agentes da envolvente interna e externa.


     


    ​ORIENTAÇÕES ESTRATÉGICAS

  • Aumentar a satisfação e a proximidade com os utentes;
  • Reforçar a proximidade com os agentes do sector e outros operadores regionais;
  • Otimizar a aplicação dos recursos orçamentais;
  • Reforçar a presença e a imagem da DRAPLVT na região;
  • Modernizar e simplificar métodos e processos de trabalho.